Programação musical: a alma do negócio da sua emissora 

 

Existem dois pontos para serem observados: o programador musical e a função Shuffle. Quem está na frente?  A sensibilidade do programador musical é fundamental para a audiência. 

 

Quando se fala em rádio, qual a primeira coisa quem vem à cabeça?

Sim! Música. Ela é a alma do rádio. 

A programação musical é algo que faz total diferença para o sucesso da emissora. Ela que irá chamar a atenção do seu público, principalmente com as rádios que trabalham com pesquisa de audiência. 

A escolha da programação musical de uma emissora precisa ser feita com cuidado, pensada na audiência e no mercado. Mas se eu disser que esta questão é “negligenciada” em muitas emissoras, você acreditaria? 

Isso acontece de forma “cômoda” no dia a dia, ao fazer uso de meios que trazem praticidade na execução, mas que perdem na qualidade seletiva. Um exemplo, é o uso do do Shuffle, programa que tem a função de apresentar uma listagem de música de forma aleatória. 

Gestores e diretores de rádio precisam ter muita atenção quanto a necessidade de se ter um programador. Profissional com conhecimento musical apurado, com uma visão de mercado, que será responsável em selecionar as músicas que são a cara de seu público. Afinal, ter uma audiência fidelizada e a base para patrocinadores. 

Esse assunto foi tema do #4 Linguicast – “Programação Musical”, com a participação de Roberto Hais. Ouça lá!

O que levar em consideração na hora de criar a programação musical

A programação musical dos nossos programas do Conteúdo Play é feita com estudo de comportamento e pesquisa de público. Selecionamos músicas que são sucesso em todo o país, para garantir resultado na audiência. Nós temos esse cuidado com as emissoras.

1) Estude a sua audiência:

Um bom programador musical, vai aonde o seu público está: numa festa de família, churrascaria, balada. Você ouve o que as pessoas estão curtindo e leva esse momento para criar a programação da rádio. Mas é claro, há momentos que precisam de algumas intervenções. 😉

2) Agregue conteúdo à programação musical:

Pesquise e traga sempre uma informação relevante, que possa ser agregada à música. Passar valor e conhecimento é um diferencial que o seu público aprecia. Um cuidado que fortalece a audiência. 

3) Técnica e sensibilidade

O profissional – programador musical – além de ter conhecimentos técnicos e teóricos adquiridos no curso de programação, ele precisa ter o feeling (sensibilidade) artístico. Um bom profissional da área precisa estudar, pesquisar e gostar de ouvir música. Toda a experiência que ele tiver será uma “bagagem” para criar uma programação musical de sucesso.

Conclusão 

É interessante ter experiências atípicas da nossa rotina, porque isso nos permite “costurar” exatamente tudo que você ouve de maneira interessante. 

Por exemplo, se você gosta de ouvir música e tem conhecimento sobre o assunto, poderá fazer com que esse conhecimento chegue aos ouvidos da sua audiência de forma diferenciada. E ainda, fazer combinações musicais interessantes e provocar uma experiência incrível. 

A função Shuffle pode ser utilizada na sua rádio por uma questão de facilidade, mas construa a sua lista musical com a sua base de conhecimento para trazer um resultado mais humanizado. Pense sempre em entregar o melhor para o seu público.

 

Se você gostou deste conteúdo, sugerimos o #4 Linguicast – “Programação Musical”, com Roberto Hais. Tá bacana demais!

 

 

 

 

 

 

 

 

Artigos que talvez sejam de seu interesse:

Desperte necessidade em seus potenciais clientes

Redes sociais: relevância e estratégia geram resultados 

Conteúdo Vs Resultado: pense diferente!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *